#Mulheres latino-americanas vão às ruas, juntas, contra o feminicídio

Quando a jovem argentina Lucía Pérez, de 16 anos, foi estuprada, empalada e brutalmente assassinada, no último no dia 8 de outubro, sua dor reverberou pela América Latina. Em uma organização sem precedentes, manifestações foram levantadas de forma sincronizada em diferentes países. As mulheres latino-americanas foram às ruas contra a violência de gênero.

O movimento Ni Una a Menos, que surgiu na Argentina em 2015, ganhou nova força este ano após o crime que ceifou a vida de Pérez. No domingo, dia 23, manifestantes tomaram as ruas de São Paulo. Três dias depois , o movimento chegou ao Rio de Janeiro. Atos também foram feitos em outros países da América Latina, como México, Chile, Guatemala, Bolívia e Uruguai.

Não é de se surpreender que isso aconteça especificamente na América Latina. De acordo com a ONU Mulheres, dos 25 países com mais altas taxas de feminicídio do mundo, 14 estão na América Latina e no Caribe. A cada 36 horas uma mulher morre vítima de feminicídio na Argentina. No Brasil, a cada duas horas uma mulher é morta, o que nos coloca na quinta posição do ranking global. Já era tempo de gritar “basta” a esses crimes.

Assista a nosso vídeo acima ou em ” target=”_blank”>nosso canal no YouTube.

The post Mulheres latino-americanas vão às ruas, juntas, contra o feminicídio appeared first on The Intercept.

from The Intercept ift.tt/2f7ZG3g

Leave a Reply

Your email address will not be published.

The CAPTCHA cannot be displayed. This may be a configuration or server problem. You may not be able to continue. Please visit our status page for more information or to contact us.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.